14 de ago de 2012

Poema - Ode a um Idiota

Ode a um Idiota


Fazemos coisas estúpidas quando estamos apaixonados,
Fazemos coisas estúpidas quando estamos apáticos, 
Fazemos coisas estúpidas quando estamos feridos;
Fazemos coisas estúpidas quando estamos eufóricos.

Somos estúpidos ao sussurrar doces e vazias palavras de amor,
Somos estúpidos ao esbravejar palavrões de cólera,
Somos estúpidos ao atropelar lágrimas e palavras,
Somos estúpidos tentando fingir que nada está errado.

Nos sentimos estúpidos quando nos arrependemos de uma ação,
Nos sentimos estúpidos ao não perceber uma traição,
Nos sentimos estúpidos ao perceber nosso próprio vazio interior,
Nos sentimos estúpidos ao perceber que não temos nenhuma solução. 

Fazemos coisas estúpidas por motivos variados,
Somos estúpidos por motivos variados,
Nos sentimos estúpidos por motivos variados;
A única constante universal é a inegável e inevitável estupidez.

Fim

P.S.: se você gostou do poema e quiser postá-lo em algum lugar, fico lisonjeada. MAS antes disso, fale comigo e quando eu liberar, poste os créditos, ou teremos problemas.