12 de ago de 2011

Conto - Is She Weird?

Olá amigos :D

Venho aqui com um pequeno conto insano, chamado "Is She Weird?". Sua inspiração veio da música de mesmo título do Pixies. Podem ouvir/baixar aqui, ou se preferirem o clipe, tem aqui.

Obrigada, e espero comentários! ;D

Is She Weird?

Ele abaixou o livro, já que não conseguia concentrar-se; há mais de meia hora estava na mesma página. E odiava quando isso acontecia.

Do banco de praça, pode observar o movimento; caminhadas de amigos, pessoas conversando, crianças brincando... e ela.

Mesmo sob a visão de um dia feio e nublado como aquele, ela continuava deslumbrante: cabelos pretos e curtos, corpo magro e delicado, e olhos tão azuis, que refletiam sua alma.

Alma nada fácil de compreender, diga-se de passagem.

Ela parecia frágil e delicada, incapaz de descontrolar-se. Quem via suas mãos tão brancas e belas segurando uma flor de parque como fazia agora, juraria que tal jovem nunca faria mal algum. Perfeitamente normal.

Essas pessoas não a viram, há apenas uma semana, andar com uma faca por toda a casa, ameaçando se matar se não saíssem do caminho, fazendo inclusive um corte na perna, com isso.

Podia-se ver, já que ela usava um delicado vestido. Pequeninho, mas visível.

E não era a única vez que ela se descontrolara; aquela garota, ele poderia afirmar, era realmente estranha. 

Nada nela era normal.

Ela não falava como uma pessoa normal, não conversava como uma pessoa normal, e, sobretudo, não pensava como uma pessoa normal.

A loucura estava aparente nela para quem a visse mais de duas vezes; era tão palpável e visível quanto o algodão doce que as crianças comiam ali por perto.

Era irônico pensar em como todos a viam como uma moça inofensiva, quando ela, além de se machucar várias vezes, já deixara ele próprio quase a ponto de enlouquecer.

Ele não sabia por que estava com ela. Não tinha razão, se fosse pensar; já tivera mil motivos para terminar o relacionamento.

Ela era insana. Era insaciável. Era completamente instável. Ter algo sério com ela parecia ser mais louco do que ela própria.

Mas ela, ao mesmo tempo, o fascinava.

Aquelas mesmas mãos que seguraram rosas e facas, aquele mesmo olhar vazio; ela poderia ser louca, mas era muito mais complexa do que uma loucura normal poderia proporcionar.

Suas opiniões, sua visão pessimista, mas verdadeira do mundo, toda sua beleza e intempestividade a tornavam um ser completamente fascinante. Ah, era fácil perceber porque ele não a deixara.

Ela era cativante.

E mesmo que sua loucura o assustasse e provocasse ódio, ele a amava justamente por ser insana. Amava-a 
pelos mesmos motivos que a odiava.

Aquilo que a tornava o mais fascinante dos seres, também era aquilo que a tornava tão terrivelmente insuportável.

Ele olhou-a mais uma vez, sua obscura e estranha garota; ela sabia por que estava com ela.

Por que o amor era a mais fantástica das maldições.

E pensando nisso, voltou a erguer seu livro.

Fim


P.S: se você gostou do conto e quiser postá-lo em algum lugar, fico lisonjeada. MAS antes disso, fale comigo e quando eu liberar, poste os créditos, ou teremos problemas.

3 comentários:

  1. Que lindo, poéticamente triste.
    Senti um pouco de bayronismo ai, coisa que eu amo.
    perfeito *-*

    ResponderExcluir
  2. Eu vi a mulher ai como a Megan Fox kkk não sei pq .-. Mas ficou legal... entrando dentro do texto, eu não me sentiria nem um pouco atraída ou fascinada por uma mulher assim... mas enfim xD
    Ficou bom Bru :)

    ResponderExcluir
  3. =
    Uow... adorei, sabe bem que meu tema favorito é loukura e suas nuances devaneantes.

    Adorei, acho incrivel como consegue aprofundar seus persons e dar descrições tão perfeitas deles num conto tão curto, amo sua forma de escreita, mas eu sou fã ner... então é mais fácil elogiar ^^

    perfeito... adorei \o

    ResponderExcluir